sexta-feira, 4 de abril de 2014

ele apareceu...


... e deu uma nova cor à minha vida. Não, não a coloriu, pintou-a de sépia.
De uma forma tosca, desajeitada, destrambelhada. Chegou, deu uma alegria que à muito não sentia; mas depois foi-se e demonstrou não querer saber. Até foi bom, para que eu não pudesse aprofundar os sentimentos e chegasse a amá-lo.
Mas porque é que eles vêm e vão como se nada os afetasse? Ou será que também lhe afeta mas o orgulho é maior do que qualquer outra coisa!

11 comentários:

  1. nada melhor do que esclarecer tudo isso para matar os bichinhos que estão nessa cabecinha!

    ResponderEliminar
  2. O orgulho estranha muitas coisas, infelizmente!

    ResponderEliminar
  3. o orgulho é um bicho tramao realmente mas quando eles se preocupam realmente eles não se vão embora ou então arrependem se e voltam

    ResponderEliminar
  4. Tens que contratar um pintor com contrato de trabalho, porque isto a recibo verde a malta não cria vínculo. xD

    ResponderEliminar
  5. Acho que sim, que o orgulho os afeta, mas não tanto como como o medo (apesar de parecerem muito foitos, no fundo têm medo de sofrer e só conseguem jogar determinados tipos de jogos).

    ResponderEliminar
  6. apesar de ter passado pelo mesmo, eu acho que nao é a questao de nao afetar mas sim de fazer para nao afetar e usar o orgulho como escudo!

    ResponderEliminar
  7. "achas", nunca se tem a certeza..

    ResponderEliminar
  8. Eu acho que devias perder o medo :)

    ResponderEliminar