quinta-feira, 19 de março de 2015

nostalgia, é o que é


Talvez achassem normal encontrar este tipo de post no blog da Nea e não no meu. Mas como sabem eu e a Nea vivemos relativamente perto uma da outra (mas não, ainda não nos conhecemos pessoalmente). Como tal as nossas cidades têm alguns, chamemos-lhes, rituais semelhantes e portanto eu também sei o que é o Campos de Trabalho.
Fui a cinco, nunca me arrependi! O melhor? O melhor foi a diversão a cada ano, o entusiasmo e as borboletas que se formavam na barriga na noite anterior àquele domingo especial em que nos enfiávamos nos autocarros à procura de descobertas, de nós mesmos, dos outros, do mundo e do espaço que estávamos prestes a habitar e a tornar nosso, só nosso.
Lembro-me do primeiro ano em que foram os nossos pais que nos foram levar e da sensação de nervosismo por estar tanto tempo longe dos meus pais, a minha inocência de 13 anos, que não sabia o que estava prestes a viver. Lembro-me de achar cada coisa algo magnífico, lembro-me de ter medo de falar em frente às outras pessoas, lembro-me de não saber como fazer certas coisas. Mas lembro-me também de adorar o meu quarto e de este ser o ponto de encontro de todas as raparigas do nosso ano, sendo que na última noite dormimos lá 8 pessoas, quando era suposto dormirem apenas 2.
Lembro-me do segundo ano em que a mala que levei era enorme, porque tinha medo de me faltar as coisas que me tinham faltado no ano anterior. Lembro-me de no segundo dia querer vir embora porque a casa estava cheia de morcegos e eu já não aguentava de sono por não conseguir dormir. Lembro-me de dormirmos três pessoas em duas camas de solteiro juntas. Lembro-me do quarto ser enorme e dormirem lá todas as raparigas que foram naquele ano.
Lembro-me de no terceiro ano me colocarem com mais treze raparigas no quarto, amigas e desconhecidas, mas me divertir ao máximo na mesma. De ter feito duas amigas excelentes, que fui perdendo contacto com o tempo, mas que naquela semana foram mais que companheiras de quarto, foram companheiras de brincadeiras, de momentos mortos, de lágrimas e alegrias. Lembro-me da dor que foi a noite de fogo quando tivemos de nos despedir da nossa amiga. 
Lembro-me de no quarto ano voltar a dividir uma divisão enorme com todas as raparigas do campos, de dormir na primeira cama do quarto, mesmo à beira da porta e por isso ser a pessoa que alertava caso entrassem rapazes. Lembro-me de acordar às 5 da manhã para irmos ver o pessoal da casa a ordenhar as vacas. Lembro-me da paisagem magnífica que aquele espaço tinha para nos oferecer. Lembro-me da Belinha, a menina que tem os sonhos e os realiza sem medo. Lembro-me da serenata que os rapazes nos fizeram na última noite.
Lembro-me do quinto ano. Do último ano de campos. Do quarto de quatro pessoas e de eu e as minhas amigas o termos feito para nove, em que três pessoas dividiam 2 camas, mas em que a amizade prevaleceu acima de tudo. Lembro de dividir o quarto com a Taci e com a Alana e ter ficado demasiado afastada da Joyce. Lembro-me da carta da Joyce na manhã do silêncio, e de ter chorado na mesa do pequeno almoço. Lembro-me de no fim estar feliz por ter aproveitado ao máximo o meu último campos, de me ter divertido, feito amigos e saído de lá feliz.

De todos eles, levo as cartas, levo as risadas, levo as noites de fogo, levo as lágrimas, levo os abraços, levo as juras e as promessas de guardarmos para sempre os ensinamentos que só ali conseguiríamos adquirir. Ficam as saudades dos momentos de alegria, das noites de fogo, das noite do peddy paper, das noites de travestis, das partidas durante a noite, de acordar toda riscada e com pasta de dentes, da ansiedade de mais uma semana para nunca esquecer, do nervosismos antes de pegar na caneta e no papel no deserto. Do deixar a mente e o corpo serem levados para outro mundo, durante a noite de fogo, e de no dia seguinte sentir-me leve e bem comigo própria. Tenho saudades do campos, vou sempre ter. 

19 comentários:

  1. tenho um desafio para ti http://orefugiodasimplegirl.blogspot.pt/ beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Parece muito interessante, deves ter imensas saudades mesmo...

    ResponderEliminar
  3. Que giro :) eu nunca tinha sequer ouvido falar disso mas parece-me tão bom que até fiquei com vontade de ir :') nunca fiz nada do género

    ResponderEliminar
  4. Sabe o que te tenho a dizer acerca disto....
    Sabes que podes voltar, independentemente de tudo!
    Sabes que te entendo mais do que bem.
    Espero que saibas que se achas isto mesmo muito bom, nos convívios irás ser tipo eu!
    Sabes que tens de ir a um, e será inesquecível também :)
    E espero que saibas que te adoro e que estou aqui! Sei a nostalgia que é...

    ResponderEliminar
  5. r: Já respondi às tuas perguntas parvas :p
    Foi um elogio sim senhora! ahah
    Ainda não percebeste que eu amei?
    Já sabia que ia ser ele!

    POOOOOOOOOOORTOOOOOOOOOO! <3

    ResponderEliminar
  6. Também tenho memórias semelhantes, que saudades! :)

    ResponderEliminar
  7. Nunca tinha ouvido falar, destes campos de trabalhos. Mas deve ser divertido, deves ter memórias fantásticas ;)

    ResponderEliminar
  8. R: oh filha, tenho de pensar na minha carteira e nem tenho o teu nr xD

    ResponderEliminar
  9. Beeem, este texto transmite tão bem o que sentiste! As saudades desses momentos são sempre uma sensação boa :) Espero que os recordes sempre e que estejam sempre num lugar especial.

    ResponderEliminar
  10. r: Não fofinha, não uso.
    Espero que não seja nada :(

    ResponderEliminar
  11. Por vezes também me bate este tipo de nostalgia :') Mas é sempre bom recordar...

    ResponderEliminar
  12. Na minha região não existe isso, aliás nem sabia que isso existia! parece tão giro! :)

    ResponderEliminar
  13. É normal teres saudades :))
    Gosto do novo design :))

    ResponderEliminar
  14. mas o que é isso? é tipo campos de férias?

    r: aiii, é complicado! :p

    ResponderEliminar
  15. Eu tinha estágios todos os verões com a orquestra onde andava e tenho memórias de imensos momentos que passei com pessoas que mal conhecia, acabando por se tornarem em grandes amigos, apesar de nos vermos pouco mais do que duas vezes por ano. Embora o ambiente seja diferente, acho que percebo essa nostalgia

    ResponderEliminar
  16. Há sempre aqueles momentos que nunca sairão das nossas memorias e que não nos importariamos de voltar a viver vezes sem conta.
    Beijinhos *-*

    ResponderEliminar
  17. Óhh, quando nos marca e quando gostamos é assim :))

    ResponderEliminar
  18. Diz à Amy que não tem nada a ver com campos de férias ahahahah

    ResponderEliminar